Carrinho

Trazer vida a algo que antes estava morto é uma ótima definição para a palavra avivamento. Não existe vida nova com Jesus sem transformação. A Bíblia aponta que só podemos nascer de novo após o arrependimento: “Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados, para que venham tempos de descanso da parte do Senhor […]” (Atos 3.19-20 – NVI). Estes versículos destacam a importância do arrependimento como o primeiro passo crucial para a obtenção de uma nova realidade em Cristo. Sem arrependimento, não podemos experimentar a transformação que Ele nos oferece, o mesmo vale para o avivamento.

 

 

Assim como não existe ressurreição sem cruz, não existe avivamento sem arrependimento

Se queremos viver de fato um avivamento em nossa nação, precisamos começar pelo arrependimento e ter o coração aberto para entender que o avivamento começa no individual, transformando a minha e a sua vida. No livro Avivamento sustentável, o autor Eduardo Nunes descreve três passos necessários para que esse movimento aconteça: arrependimento, paixão pela presença de Deus e o derramar do Espírito Santo.

 

Transformando a nossa sociedade

 

Apesar do avivamento começar em nós, entendemos que ele não é apenas uma mudança pessoal, mas também uma transformação social. Sabemos que a vontade de Deus sempre foi trazer vida ao que está morto. Encontramos um exemplo em Ezequiel 37.1-14, onde fica claro que essa luz se manifesta quando Sua presença invade um ambiente, derramando Seu Espírito e estabelecendo o Seu Reino na Terra. Assim, podemos ver reis sendo destronados e sistemas humanos sendo substituídos pelo modelo dos Céus. Se trata de uma revolução espiritual que transforma não apenas indivíduos, mas também comunidades inteiras.

 

O avivamento é como fogo que se espalha, consumindo tudo o que é velho e trazendo à tona o novo. É um chamado para sair da zona de conforto e se lançar em uma jornada de fé, permitindo que Deus transforme cada aspecto de nossas vidas e nos use como agentes de mudança em nossas nações. O principal objetivo é a expansão do Seu Reino aqui na Terra.

 

Algumas histórias nos inspiram a buscar um avivamento em nossa nação, dentre elas, podemos citar o que aconteceu em outros países, gerando a transformação de diversas pessoas. Vidas e sociedades já foram impactadas pela presença de Deus, afinal, o maior benefício que podemos ter através do avivamento é a vontade d’Ele sendo estabelecida. Separamos alguns exemplos que marcaram a história:

William Seymour 

 

Foi um líder cristão e avivalista nascido em Louisiana, em 1870. Ele se tornou líder da Igreja de Deus em Cristo (COGIC), uma denominação pentecostal afro-americana. Em 1906, foi convidado para pregar na Missão da Rua Azusa, em Los Angeles, que futuramente se tornou um importante centro de avivamento pentecostal nos Estados Unidos. O avivamento da Rua Azusa atraiu muitas pessoas de todas as raças e classes sociais, sendo caracterizado por uma intensa experiência do poder de Deus, o que incluiu o falar em línguas, curas e libertações.

 

Seymour tornou-se o líder da Missão da Rua Azusa e seu ministério influenciou a formação do movimento pentecostal moderno em todo o mundo. Seu enfoque na importância da experiência pessoal com o Espírito Santo, juntamente com sua mensagem de unidade e amor, o tornaram um líder espiritual muito respeitado.

 

O legado de Seymour continua vivo na Igreja de Deus em Cristo e no movimento pentecostal em geral, mesmo depois de sua morte em 1922. Seu trabalho na Missão da Rua Azusa é reconhecido como um marco na história do cristianismo.

 

Evan Roberts

 

Foi um avivalista galês que desempenhou um papel importante no avivamento ocorrido no País de Gales, em 1904. Ele nasceu em 1878, em uma família cristã. Aos 13 anos, teve uma forte experiência espiritual que mudou sua vida. Em 1904, após um período de intenso jejum e oração, Roberts começou a pregar em reuniões espirituais em toda a região de Gales.

 

O avivamento liderado por Roberts foi caracterizado por uma forte ênfase na oração, no arrependimento e na busca pela santidade. Os cultos eram frequentemente realizados ao ar livre, atraindo grandes multidões e produzindo um grande número de conversões. O avivamento se espalhou rapidamente por todo País de Gales, e muitos consideram que Evan ajudou a mudar a cara da sociedade galesa.

 

Ele deixou um legado duradouro e inspirou muitos cristãos a buscarem uma maior intimidade com Deus e um estilo de vida mais comprometido com a fé. A transformação operada por Deus no País de Gales também influenciou o desenvolvimento do movimento pentecostal em todo o mundo, tornando-se um exemplo de como a ação do Espírito Santo pode mudar vidas e comunidades.

 

John Wesley

 

John teve um papel essencial no avivamento espiritual na Inglaterra, no século XVIII. Wesley nasceu em 1703, na Inglaterra, e sua família era profundamente religiosa. Ele estudou teologia na Universidade de Oxford e, junto com seu irmão Charles, começou a liderar um grupo de estudantes que se encontravam regularmente para orar e estudar a Bíblia. Esses encontros foram o início do movimento metodista.

 

Wesley viajou extensivamente pela Inglaterra, pregando o evangelho e organizando reuniões religiosas. Ele enfatizou a necessidade de uma experiência pessoal de salvação e defendeu a santidade pessoal e social. Ele também foi um forte defensor do trabalho social e ajudou a fundar escolas, hospitais e orfanatos.

 

O avivamento começou na década de 1730, quando ele e seu irmão começaram a pregar em locais ao ar livre, como praças e campos, para alcançar pessoas. Milhares de pessoas começaram a aceitar Jesus em suas vidas e o movimento se espalhou rapidamente, primeiro por toda a Inglaterra e depois para outras partes do mundo.

 

Esse avivamento teve um impacto significativo na sociedade da época, ajudando a combater a pobreza, a injustiça social e o abuso de poder. Wesley morreu em 1791, mas o seu legado continua até os dias de hoje.



O legado que impacta a nossa vida

 

Ainda podemos ver muitos frutos desses legados deixados por meio de avivamentos. Hoje podemos desfrutar ainda mais da porção da presença manifesta de Deus por causa da obediência de homens e mulheres de gerações anteriores. Entretanto, não podemos deixar que isso acabe em nós, precisamos continuamente andar em busca da vontade de Deus e construir um legado ainda maior para as próximas gerações. 

Em primeiro lugar, o avivamento começa no coração de pessoas totalmente rendidas ao Espírito Santo. Em segundo, traz a renovação da Igreja. Em terceiro,traz o despertamento para os não crentes, levando-os ao Novo Nascimento. E em quarto, esse mover culmina na reforma da sociedade. Com isso, não quero dizer que a Terra será o Céu, mas, sim, que a luz deve prevalecer contra as trevas, e a justiça destronar a injustiça. Logo, se há um genuíno avivamento em uma nação, sua história será mudada.

O nosso coração precisa estar voltado para a oração que Jesus nos ensinou: “— Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” (Mateus 6.10). Essa urgência deve existir no coração de todo cristão: a urgência de ver o Reino do Senhor sendo estabelecido aqui na Terra, trazendo transformação a cada vida e nação. Que nos dediquemos a viver essa transformação que não se resume somente a impactar as nossas próprias vidas, mas a de todos aqueles que creem.

Política de privacidade