Carrinho

O que vem à sua mente quando pensa em “oração”? Uma conversa, uma lista de pedidos, um agradecimento antes das refeições? Joelhos no chão e mãos entrelaçadas?

Independentemente do que passa pela sua cabeça, a pergunta mais importante é: O que você acha que acontece quando ora?

Orar é algo lindo e tremendo. Abrimos nossa boca e conversamos com o Pai, a fim de desenvolvermos um relacionamento íntimo e profundo com Ele.”

A partir dessa frase, presente no Devocional Vai Acontecer escrito pela Bruna Karla, percebemos a primeira consequência de uma vida de oração:

DESENVOLVEMOS UM RELACIONAMENTO COM DEUS

Podemos conversar com Deus da mesma forma que fazemos com um amigo muito próximo. Ele quer ouvir o que temos a dizer sobre o nosso dia ou como estamos nos sentindo sobre qualquer assunto. Um relacionamento envolve conversa, muita conversa. Isso porque é necessário conhecermos um ao outro e, mesmo que Deus já nos conheça perfeitamente, Ele quer que nos acheguemos sem muros ou máscaras.

Além disso, um relacionamento também demanda tempo. Apesar dos dias muito corridos, em que não temos tempo nem de comer direito, precisamos nos lembrar de dar o nosso melhor e priorizar o Secreto. Afinal, é lá que passamos a ter intimidade com Deus e entendemos melhor os Seus planos para nós.

 

Outra consequência da oração é que:

GERAMOS TESTEMUNHOS E EXPERIÊNCIAS COM DEUS

No capítulo 20 de 2 Crônicas, vemos as repercussões de uma oração. Os moabitas e os amonitas planejavam atacar o reino de Judá quando o rei Josafá reuniu o povo para juntos orarem e essa foi a oração:

Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és tu o Deus que está nos céus? Tu governas sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em tuas mãos, e ninguém pode opor-se a ti. Não és tu o nosso Deus, que expulsaste os habitantes desta terra perante Israel, teu povo, e a deste para sempre aos descendentes de teu amigo Abraão? Eles a têm habitado e nela construíram um santuário em honra do teu nome, dizendo: ‘Se alguma desgraça nos atingir, seja o castigo da espada, seja a peste, seja a fome, nós nos colocaremos em tua presença diante deste templo, pois ele leva o teu nome, e clamaremos a ti em nossa angústia, e tu nos ouvirás e nos salvarás’. "Mas agora, aí estão amonitas, moabitas e habitantes dos montes de Seir, cujos territórios não permitiste que Israel invadisse quando vinha do Egito; por isso os israelitas se desviaram deles e não os destruíram. Vê agora como estão nos retribuindo, ao virem expulsar-nos da terra que nos deste por herança. Ó nosso Deus, não irás tu julgá-los? Pois não temos força para enfrentar esse exército imenso que está nos atacando. Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para ti.

Nos versículos seguintes, vemos a resposta de Deus.

Então o Espírito do Senhor veio sobre Jaaziel, filho de Zacarias, neto de Benaia, bisneto de Jeiel e trineto de Matanias, levita e descendente de Asafe, no meio da assembléia. Ele disse: "Escutem, todos os que vivem em Judá e em Jerusalém e o rei Josafá! Assim lhes diz o Senhor: ‘Não tenham medo nem fiquem desanimados por causa desse exército enorme. Pois a batalha não é de vocês, mas de Deus.

Incrível, não é mesmo? Deus ouviu e respondeu a oração do povo! Depois, a realização da palavra que o Espírito falou através de Jaaziel torna-se nítida:

Quando começaram a cantar e a entoar louvores, o Senhor preparou emboscadas contra os homens de Amom, de Moabe e dos montes de Seir que estavam invadindo Judá, e eles foram derrotados. Os amonitas e os moabitas atacaram os dos montes de Seir para destruí-los e aniquilá-los. Depois de massacrarem os homens de Seir, destruiram-se uns aos outros. Quando os homens de Judá foram para o lugar de onde se avista o deserto e olharam para o imenso exército, viram somente cadáveres no chão; ninguém havia escapado. Então, Josafá e os seus soldados foram saquear os cadáveres e encontraram entre eles grande quantidade de equipamentos e roupas, e também objetos de valor; passaram três dias saqueando, mas havia mais do que eram capazes de levar.

Quando clamamos, Deus nos ouve. Nem sempre o que pedimos de fato acontece, mas Ele nos escuta e sabe o que é melhor para nós. 

Toda vez que pedimos com fé, o Céu se move. Muitas histórias, na Bíblia e de irmãos da igreja, narram milagres que aconteceram depois do povo se unir em oração.

INTERCEDEMOS UNS PELOS OUTROS

Por meio da oração, temos também a oportunidade de interceder pelos outros, aprendendo a olhar para fora de nós mesmos e a viver realmente em comunidade. 

Quando nos colocamos como mediadores entre Deus e alguém e oramos com fé, temos a oportunidade de ver milagres acontecendo.

Nós também devemos ter confiança de que o nosso clamor ao Senhor é capaz de trazer transformação ao destino de nações, famílias, escolas, universidades, o que for. Não há limites para o alcance do poder de Deus por meio de nossas súplicas.”

PODEMOS CONTAR COM A AJUDA DO ESPÍRITO SANTO

"Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus."

Em alguns momentos da nossa vida, sentimos dificuldade de orar. Contudo, quando convidamos Jesus para entrar em nosso coração, o Espírito Santo também O acompanha e, a partir desse momento, podemos contar com a Sua ajuda para orar, para ter discernimento e entender quais passos devemos tomar. 

É um privilégio caminhar com a ajuda e o consolo diários do Espírito Santo, mas para isso precisamos estar sensíveis ao Seu falar, sempre prontos a escutá-lO e obedecê-lO.

APRENDEMOS A LUTAR COM ARMAS ESPIRITUAIS

Não é segredo que temos muitos desafios na vida. Experimentamos vitórias e derrotas, mas, seja como for, precisamos aprender a lutar com as armas espirituais. Louvar ou reclamar em meio a dias difíceis, liberando bênçãos ou maldições, é uma escolha nossa.

Que consigamos optar sempre pela oração, jejum e o louvor a Deus, que continua sendo bom e fiel a todo momento.Cremos que, depois de toda batalha, saímos mais fortes e confiantes n’Aquele que nunca nos abandona.

 

Pudemos ver que a oração gera sim mudanças em nossas vidas e nas vidas das pessoas ao nosso redor. É uma atitude que gera frutos. É dessa forma que nutrimos um relacionamento com a trindade e passamos a ter mais sensibilidade para ouvir o direcionamento do Espírito Santo para como devemos agir e viver.

É crucial adquirirmos a disciplina de oração a fim de desfrutarmos de um lindo relacionamento íntimo com o Pai, vencendo guerras espirituais e descansando em Suas promessas.

Política de privacidade