Carrinho

No primeiro dia da semana, de manhã bem cedo, Maria tinha uma prioridade. Ela, Maria Madalena e Joana carregavam óleos aromáticos preparados com antecedência. Tudo estava pronto antes mesmo do sol raiar. 

Maria estava disposta. Ela foi fazer o que tinha de ser feito no “hoje”: cuidar do corpo de Jesus. Se eu pudesse fazer uma suposição, diria que Maria, naquele dia, nem pensou no amanhã. Que amanhã teríamos sem um Cristo vivo?

Ainda bem que, ao chegarem na tumba vazia, os planos daquelas mulheres foram frustrados. Elas encontraram anjos que garantiram que os planos para aquele dia não seriam mais necessários. 

  — Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que vive? (Lucas 24.5)

Naquele momento, aquelas mulheres já não estavam na crucificação de Cristo, que fez o que fez para salvar o que se havia perdido; não estavam em Sua morte; não estavam em uma tumba. Naquele momento, aquelas mulheres estavam no “amanhã”. 

Imagine só a alegria de Maria, de Maria Madalena e de Joana no dia seguinte. Ao acordarem, talvez tenham se lembrado dos anjos, de sua mensagem, e da verdade: Cristo vive. Imagine a satisfação que tiveram ao realizar as tarefas diárias sabendo que suas vidas estavam nas mãos de seu Jesus, que vivo está! Naquelas mulheres foi brotada uma chama que aqueceu seus corações, como uma lareira reconfortante chamada esperança. 

O amanhã é como um jardim que deixa tudo o que precisamos à nossa disposição. Mas não o confunda com o jardim no Éden — o segundo é ainda melhor. Tem tudo de eterno que tinha no primeiro, mas com uma diferença: agora, somos filhos do dono. 

A canção diz que “Porque Ele vive, posso crer no amanhã”, e já estamos no amanhã! Já estamos no dia depois da Cruz, já passamos pela tumba vazia, já estamos com a lareira da esperança acesa em nós. Não podemos nos esquecer disso, nem deixá-la se apagar. Cabe a nós colocar lenha dia após dia, amanhã após amanhã, até que Ele volte.

Se eu posso crer no amanhã, que vivo hoje; na reconciliação com Deus; nos pecados perdoados; na morte e ressurreição do Senhor Jesus, é porque Ele vive. E repito: Vivo está!

Política de privacidade