Carrinho

Os passos de Jesus nos inspiram a seguir as Suas palavras cheias de virtudes que nos transformam em filhos de Deus. Como filhos, precisamos parecer com o nosso Pai Celestial, buscando ter atitudes correspondentes ao nosso verdadeiro DNA. Por isso, Jesus nos deixou as bem-aventuranças para nos lembrar das coisas que verdadeiramente devem nos influenciar.

 

Em cada capítulo dos evangelhos podemos estar mais perto de quem Ele é, obter referências para nossa vida e seguir o processo de aperfeiçoamento do nosso caráter, conforme a Sua Palavra. Nossos olhos e ouvidos devem estar atentos a cada instrução que nos leva a sermos mais parecidos com Ele.

 

Nas bem-aventuranças, podemos observar esses ensinamentos centrais para a moralidade cristã. Eles são frequentemente citados como exemplos da sabedoria de Jesus, registrados no Evangelho de Mateus (cf. Mateus 5.3-12). Cada uma das bem-aventuranças começa com a palavra “bem-aventurados”, que também pode significar “abençoados”. Esse termo, no entanto, não se refere a uma felicidade superficial ou material, mas sim a uma felicidade profunda e espiritual que vem da relação com Deus e Seus filhos.

 

1. “Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos céus”. 

 

Isso significa que aqueles que reconhecem sua própria pobreza espiritual e dependência de Deus são abençoados, pois receberão o Reino dos céus. Quando reconhecem sua total necessidade de Deus, aí sim que recebem o que realmente precisam — reconhecer a própria necessidade de Deus é uma atitude de humildade e sinceridade valorizada por Ele.

 

2. “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”. 

 

Aqui, a bênção está presente na consolação, o que significa que, mesmo em meio ao sofrimento, podemos achar o consolo do Pai, O qual está presente para nos confortar e para nos ajudar a enfrentar nossos problemas. O Senhor Jesus nos mostra que nunca estaremos sozinhos e que aquilo que sentimos em nossa alma tem importância para Deus.

 

 3. “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra”. 

 

Aqueles que são humildes e não violentos são abençoados e herdarão a terra. Isso não quer dizer que os mansos são fracos ou ineficazes, mas sim que sua atitude de paz e compaixão é uma virtude valorizada por Deus. A verdadeira mansidão não se resume a entrar em um lugar de apatia, ignorando o que pode estar acontecendo. Ela vai além disso, significa estender graça ao próximo e se comprometer com o que tem cultivado dentro de si. A mansidão não dura apenas um momento, pois ela é uma força capaz de controlar paixões e emoções, dando lugar à sabedoria de Deus. 

 

 

Ser manso é saber se posicionar e aplicar a sua força da maneira certa em cada situação, assim como Jesus fazia.

4. “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados”.  

 

Aqueles que buscam a justiça serão abençoados e satisfeitos. Deus promete resolver imediatamente todos os problemas de injustiça no mundo, afinal, vivemos em um mundo caído onde o pecado ainda é uma realidade, mas Ele deixa claro que  valoriza a busca pela justiça e trabalha por meio de Seus filhos para alcançá-la.


5. “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”.  

Abençoados são aqueles que demonstram misericórdia aos outros, pois receberão misericórdia em troca. Devemos, portanto, mostrar misericórdia e compaixão a todos, o que não significa necessariamente que as pessoas não sofrerão consequências por seus comportamentos prejudiciais ou imorais. É importante lembrar que somos responsáveis por nossas ações e atitudes. O que esse versículo quer destacar é a importância da compaixão e da misericórdia. Aqueles que demonstram misericórdia aos outros são abençoados por Deus com bênção divina.

 

6. “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus”.

 

Para Deus é importante a integridade e a sinceridade do coração. A forma como se encontra o nosso coração muitas vezes vai filtrar a forma que vemos a Deus.  Quando mantemos um coração puro e sincero, somos abençoados por Ele com a visão de Sua presença revelada.

 

7. “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus”.

 

Jesus mostrou na Sua vida a importância da paz e da reconciliação. Não existe melhor exemplo que a Sua entrega por nós, nos reconciliando com Deus. Os pacificadores são aqueles que trabalham pela paz e pela conciliação, e são abençoados por Deus sendo reconhecidos como Seus filhos.

 

8. “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus”.

 

Nossa fidelidade e coragem em face à perseguição nos leva a um lugar de bênção e paz no Reino dos céus. Isso nos mostra que o sofrimento e a perseguição não são em vão e que Deus está do lado daqueles que são fiéis a Ele. Jesus ensinou que os que sofrem por sua fé não devem temer, pois serão recompensados no céu. A oitava bem-aventurança é um encorajamento para os cristãos permanecerem firmes em sua fé, mesmo diante da adversidade.

 

Quão valioso é andarmos nessa revelação! Nossa vida ganha uma nova motivação e nisso agradamos o coração de Deus. Ser abençoado é receber essa verdade e caminhar pelos ensinamentos do próprio Jesus. Que as bem-aventuranças tragam a você uma perspectiva celestial sobre a sua vida!

Política de privacidade