Carrinho

Quando crescemos com uma crença falsa sobre algo, é difícil entender a verdade depois, na vida adulta. Muitos desenvolveram, na infância, um significado em mente sobre a Páscoa, podem até já ter ouvido falar que ela, na verdade, é sobre Jesus, mas o que marcou a infância da maioria das pessoas nessa data especial foram os ovos de chocolate e o tal do coelho. Grande parte da sociedade escutou muito sobre o coelho e praticamente nada sobre o Cordeiro. 

 

Precisamos resgatar o verdadeiro significado da Páscoa e lembrar da razão pela qual comemoramos essa data. A verdade que precisa ser dita e compartilhada é essa: Jesus não nos dá meros chocolates ou cestas cheias de ovos, Ele dá algo muito maior e mais valioso, que é a vida eterna com Deus e o perdão de todos os nossos pecados por meio do Seu sangue derramado na cruz. 

 

A Páscoa com o Cordeiro

 

A palavra Páscoa tem origem no hebraico pesach, que significa “passagem”. Essa celebração tem raízes na tradição judaica, quando foi celebrada a passagem do povo hebreu da escravidão no Egito para a liberdade, como descrito no livro de Êxodo.

 

O povo de Israel passou mais de quatrocentos anos como escravo no Egito, mas Deus teve misericórdia e levantou um homem, Moisés, para libertar todos os israelitas da mão do faraó. Quem já leu a história sabe que o faraó rejeitou o pedido de Moisés — e a ordem divina — dez vezes, resultando nas dez pragas do Egito. Como consequência, Deus determinou que todos os primogênitos egípcios seriam mortos, e essa foi a décima e última praga.

 

 

Porque o Senhor passará para matar os egípcios. Quando, porém, enxergar o sangue na viga superior da porta e em ambas as ombreiras, o Senhor passará por cima da porta e não permitirá que o Destruidor entre na casa de vocês para matá-los. Portanto, guardem isto por estatuto para vocês e para os seus filhos, para sempre.

O que impediu que os primogênitos israelitas fossem mortos foi o sangue dos cordeiros sacrificados. Essa era a ordem de Deus para seu povo e a condição para que eles permanecessem protegidos durante a noite e libertos da maldição. As famílias judaicas que seguiram as instruções divinas aspergiram o sangue do animal nas ombreiras e na verga da porta de suas casas, de forma que, quando o anjo enviado por Deus passou por essas entradas, seguiu em frente e não tocou nos primogênitos daqueles hebreus.

 

Esse sinal mostrou profeticamente o que Jesus faria centenas de anos mais tarde, derramando o Seu próprio sangue na cruz do calvário para libertar o mundo do pecado. Na noite anterior, eles também comeram ervas amargas, representando o sofrimento no Egito, e pão asmo, sem fermento, o que simbolizava a pureza e a ausência de pecado. Jesus, que nunca pecou, é visto como o verdadeiro pão asmo, que desceu do Céu para dar vida ao mundo. Ele se tornou o Pão da vida eterna para todos aqueles que crêem n’Ele.

 

Cristo morreu exatamente durante a celebração da Páscoa judaica, pois Ele mesmo havia Se preparado para ser o sacrifício. Assim foram cumpridas as profecias do Antigo Testamento que falavam sobre o sacrifício do cordeiro pascal. Ele Se tornou o Cordeiro perfeito, sem mancha ou defeito, o único que poderia tirar o pecado do mundo. 

No dia seguinte, vendo que Jesus vinha em sua direção, João disse: — Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

A morte não é o fim

 

Temos a vida eterna n’Ele que, ao terceiro dia, em um domingo de Páscoa, ressuscitou dos mortos, aparecendo a Seus discípulos e a muitos outros. A ressurreição de Jesus é um sinal de Sua divindade e uma prova de que a morte não é o fim da vida, mas sim uma transição para a vida eterna. A Páscoa é, portanto, uma celebração da vitória de Jesus sobre a morte e do dom da salvação oferecido a todos os que acreditam n’Ele.

Estando elas com muito medo e baixando os olhos para o chão, eles disseram: — Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que vive? Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrem-se do que ele falou para vocês, estando ainda na Galileia: "É necessário que o Filho do Homem seja entregue nas mãos de pecadores, seja crucificado e ressuscite no terceiro dia." Então elas se lembraram das palavras de Jesus.

Assim, o significado principal dessa data tão especial não é o coelho da páscoa ou chocolates, mas a renovação, a esperança e a vida nova em Cristo. Ele é o verdadeiro Cordeiro de Deus, que Se fez sacrifício pelos nossos pecados e redimiu as nossas vidas. Por causa do Seu precioso sangue, podemos celebrar esse dia com alegria!

Política de privacidade